PUBLICIDADE
VEJA FOTOS

Brasileira cria cadeira 'bissexual' e americano realiza projeto

Tudo não passava de uma brincadeira que, após viralizar na web, se tornou real

21/10/2019 16h55 | Atualizada em 21/10/2019 18h40

Brasileira cria cadeira 'bissexual' e americano realiza projeto

Reprodução

Tudo começou como uma brincadeira que, em pouco tempo, se tornou realidade. Acontece que a brasileira Marina Matiazi resolveu fazer o desenho de uma cadeira para bissexuais. Após o post viralizar na web, o norte-americano Israel Walker — pai de uma jovem bissexual — resolveu tornar o projeto realidade e criou o móvel para presentear a sua filha.

“Uma artista chamada Marina Matiazi desenhou esse esboço impressionante. ‘A Bi-Chair: para pessoas que não conseguem se sentar direito’. Minha filha (que se identifica como bissexual), acha que ela e outras pessoas LGBTQ + incapazes de se sentar ‘normalmente’ são hilárias. Então, perguntei a Marina se eu poderia fazer meu próprio estilo bruto do esboço e ela disse que sim! Veja em toda a sua glória: a Bi-cadeira!”, escreveu Israel em seu Facebook.

“A cadeira é uma piada de internet sobre como pessoas bissexuais não sentam direito. Tem até testes na internet do tipo ‘encontre o bissexual’ em uma foto de grupo e com famosos que são abertamente bi. É realmente engraçado quando você repara que isso acontece”, relatou Marina ao UOL.

A artista então explicou de onde tirou a ideia: “A arte foi acompanhada pela frase ‘designed for people who cant’ sit straight’, ou ‘pensada para quem não consegue sentar com uma postura reta’. Em inglês, ‘straight’ significa algo que está ‘em linha reta’ e também uma pessoa heterossexual. Eu sou uma pessoa que gosta de fazer esses trocadilhos”, contou Matiazi.

A paranaense falou que o desenho foi feito em 15 minutos e publicado em julho deste ano. Porém, nas últimas semanas, a repercussão foi muito grande, levando ela a dar entrevista para veículos internacionais. Já na versão real, o post está quase ultrapassando os 4 mil compartilhamentos e 3 mil curtidas.

  

FONTE: Metrópoles

Comente, sua opinião é Importante!