"PESADELO NA COZINHA"

Restaurante "Pé de Fava" é colocado à venda

O plano de Fábio é voltar para sua terra natal, a cidadezinha de Viçosa, no interior do Alagoas, e comprar um sítio para viver ao lado da mulher.

22/05/2020 11h43 | Atualizada em 22/05/2020 11h51

Restaurante

Reprodução

Já faz um ano que o famigerado episódio do Pé de Fava foi exibido no "Pesadelo na Cozinha", programa no qual o chef Erick Jacquin reforma restaurantes à beira do colapso. O espaço, comandado por Fábio Lima, em Guarulhos, acabou virando febre no Brasil inteiro após os inúmeros memes que a atração gerou e agora pode ter um novo dono. Sim, o restaurante está à venda! Fábio anunciou a venda do espaço na OLX, site especializado em anúncios, com um valor simbólico de R$ 150 mil. Em conversa com o UOL, o proprietário do Pé de Fave revela sua surpresa ao receber tantas propostas.

"Todo mundo ficou querendo saber. Meu celular não para de tocar! Tem gente fazendo vaquinha on-line achando que eu estou falido, criando grupo no Facebook pedindo para não fechar", conta Fábio. 

Mas engana-se quem pensa que Fábio é a vergonha da "profissión". Ele afirma que o Pé de Fava continua sendo um sucesso e até antes do início da pandemia, ainda tinha filas na porta. "O negócio continua lucrativo, quem comprar não terá problemas. Não estou vendendo por questão de dinheiro. Quero desacelerar. São Paulo não é para qualquer um".

O plano de Fábio é voltar para sua terra natal, a cidadezinha de Viçosa, no interior do Alagoas, e comprar um sítio para viver ao lado da mulher. "Quero criar galinha. São 14 anos em São Paulo, estou cansado, trabalhando de domingo a domingo", lamenta.

Se depender do interesse das pessoas, não levará muito tempo para os desejos de Fábio se realizarem. Ele conta que já recebeu propostas de compra de pessoas do Canadá, de Curitiba e de bairros nobres de São Paulo, como Moema. Alguns já até dobraram o valor da proposta inicial de Fábio. "É fácil de levar o negócio para frente. Isso pode virar uma franquia! Se você abrir um Pé de Fava no Amazonas ou no Rio Grande do Sul, todos vão ter curiosidade em conhecer", sugere. 

Mudanças com a pandemia Fábio precisou se reinventar desde o início da pandemia, em março. Ele, que não tinha serviço de delivery, contratou motoboys, entrou em aplicativos como o iFood e o Uber Eats e agora consegue se virar com o serviço de entregas. "Se eu te disser que o faturamento não foi afetado, estaria mentindo. Mas conseguimos nos manter", festeja.

Um momento de crise é complicado, mas é uma oportunidade. É hora de se reinventar. Não adianta ficar se lastimando. Quem olha para o vento não semeia

As críticas por vender o restaurante depois da reforma estrelada de Jacquin também não tiraram o sono do proprietário. "Quanto mais nos batem, mais a gente cresce. Muita gente já me chamou de oportunista por estar vendendo o restaurante. Já me acostumei com críticas", admite. Mas ele não esconde a gratidão pelo trabalho do chef. "O Jacquin é um cara querido. Nunca vou poder retribuir o que ele fez por mim". 

Com a fama graças ao programa, Fábio recebeu propostas para intensificar sua presença nas redes sociais e até se tornar um influenciador digital. Planos que podem vingar quando ele se mudar, mas que ainda não passam pela cabeça. "Quero descansar. Fizemos um pé de meia e agora quero aproveitar. Queria viver igual índio, aproveitando o que a natureza dá", brinca. 

FONTE: UOL

Comente, sua opinião é Importante!