PUBLICIDADE
CRISE INTENSA

Atacado por bolsonaristas, deputado promete continuar fiel a presidente

A briga partidária saiu do nível partidário e entrou no debate político com a primeira tentativa de derrubar o líder do PSL que foi frustrada

Felipe Leonel

Acesse o Blog

21/10/2019 16h57 | Atualizada em 21/10/2019 17h16

Atacado por bolsonaristas, deputado promete continuar fiel a presidente

Câmara dos Deputados

O deputado federal Nelson Barbudo (PSL) assinou a lista para manter o deputado federal Delegado Waldir na liderança do partido na Câmara dos Deputados, em detrimento do filho do presidente Eduardo Bolsonaro.  Em resposta, o parlamentar tem recebido uma enxurrada de comentários em suas redes sociais criticando o posicionamento.

Para uma ala do ‘bolsonarismo’, Nelson Barbudo é um “traidor”. “Ou fica do lado do presidente ou está contra o país... Fique do lado certo... Votei no senhor por acreditar que nestes momentos você apoiaria o Bolsonaro”, comentou um internauta, em vídeo postado por Nelson Barbudo no Facebook.

A briga partidária saiu do nível partidário e entrou no debate político com a primeira tentativa de derrubar o líder do PSL que foi frustrada. Nesta segunda-feira (21), porém, foi confirmado o nome do filho do presidente como líder. Ele conseguiu o apoio de 28 deputados do PSL, mais do que a metade da bancada. Barbudo não assinou a lista de Eduardo.

“Eu estou na briga, no olho do furacão sem motivos. Sempre serei Bolsonaro e estou firme com Bolsonaro. Amanhã estarei na tribuna defendendo todos os projetos de Bolsonaro. Agora a imprensa quer me taxar de traidor do presidente”, disse Barbudo, acrescentando que pediu a Eduardo Bolsonaro para não se candidatar a liderança do partido.

“Vocês levaram um crise monstruosa ao Palácio do Planalto (casa do presidente), não me ouviram e agora rachou o PSL”, completou, afirmando ser fiel a Jair Bolsonaro. “Não me crucifiquem, pois não levarei o rótulo de traidor, vocês verão: todos meus pronunciamentos e votos serão a favor de Bolsonaro”, disse.

CRISE INTENSA

A crise tem provocado diversos ataques a deputados que antes eram de apoio a Jair Bolsonaro e hoje já são vistos como ‘adversários’ e muitas vezes como ‘inimigos’. A deputada Joice Hasselmann, por exemplo, afirmou que pretende acionar na Justiça o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) e Eduardo Bolsonaro caso eles não “cessem” os taques contra ela.

Ex-líder do governo no Congresso, foi destituída da função e vem acusando o governo e os filhos do presidente de usarem uma "milícia digital" para atacar desafetos políticos e a oposição. Ela ainda chamou os filhos do presidente de ‘moleques’ e afirmou que eles precisam de “camisa de força”.

"Os ataques são por orientação dos 'filhotes'. Eles têm o mesmo modus operandi de sempre. Criam memes e vídeos apócrifos e espalham nos grupos e páginas. Alguns perfis são fakes. Há assessores envolvidos", afirmou. (Com informações Estadão Conteúdo)

Comente, sua opinião é Importante!