PUBLICIDADE
DINHEIRO SOBRANDO 

AL gasta R$ 1,23 milhão em curso

Ao custo de R$ 6,8 mil por aluno, time de ministros irá capacitar servidores da Assembleia em ciências sociais e técnicas legislativas

Jefferson Oliveira

Acesse o Blog

Tarley Carvalho

Acesse o Blog

13/10/2019 08h10 | Atualizada em 13/10/2019 08h51

AL gasta R$ 1,23 milhão em curso

Reprodução/Internet

Em meio à crise financeira pela qual o Estado passa, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso firmou contrato com a Academia Brasileira de Formação e Pesquisa Ltda. (ABFP), no valor de R$ 1.238.580,00, para a realização de capacitação de servidores da Casa de Leis. Segundo o contrato, o curso de aperfeiçoamento será ministrado com alto padrão de excelência na modalidade presencial 'in company'.

Cada servidor custará aos cofres da ALMT a quantia de R$ 6.881,00. A capacitação está prevista para acontecer entre novembro e dezembro deste ano, mas o contrato tem duração de 12 meses.

O curso terá 90 horas/aula e as turmas serão divididas em duas turmas de 90 alunos cada, que serão escolhidos pela própria Assembleia Legislativa. O programa de capacitação será presencial, organizado em quatro módulos.

O curso começará com um seminário de abertura com duração de seis horas, que custará o valor de R$ 91.140,00. Os quatro módulos também serão abertos com seminários, todos com cinco horas de duração, 180 vagas e no valor de R$ 91.140,00.

Além dos seminários de abertura, cada módulo será composto por 16 horas de aula, sendo duas turmas de 90 vagas, ao valor de R$ 97.860,00 cada.

Palestrantes ilustres

O curso deverá ser recheado de figuras ilustres. O ministro-substituto do Tribunal de Contas da União (TCU) Weder de Oliveira deve ser um desses. Também do TCU, o ministro Bruno Dantas está na lista de personalidades a ministrarem a palestra aos servidores. 

O ex-auditor fiscal de Controle Externo do TCU Frederico Retes Lima também deverá compor o quadro de palestrantes do curso de aperfeiçoamento. Quem também deve dar as caras pelas terras mato-grossenses é o ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Ayres de Brito.

Os servidores que forem selecionados para participar do curso não irão trabalhar em período integral e ficarão à disposição. A Assembleia Legislativa alega que o curso visa capacitar os servidores a fim de possibilitar uma ação mais eficiente na gestão de órgãos, autarquias e fundações estaduais.

Ementa - A reportagem entrou em contato com a secretária de Comunicação Social da Assembleia Legislativa, Rosimeire Cezar Reis Felfili, e a questionamos sobre quais serão os critérios para escolha dos servidores a passarem pela capacitação; se os participantes darão alguma contrapartida para participar da formação; e se a situação financeira da Assembleia está favorável para realizar o curso, já que, constantemente, a classe política argumenta falta de recursos financeiros para solucionar problemas da sociedade.

Rosimeire nos orientou a entrar em contato com um dos assessores de imprensa da Casa, que já teria um posicionamento oficial a passar à imprensa. Assim o fizemos, mas não conferia a informação de que a nota já estava pronta.

A assessoria de imprensa informou que tentaria responder aos questionamentos, mas que, devido ao horário, dificilmente conseguiria.

 

Comente, sua opinião é Importante!