CLIMA ESQUENTOU

Retorno da CPI do Paletó é marcado por confusão; Abílio chama Toninho de pau mandado do prefeito por 7 vezes - VÍDEO

CPI investiga se o prefeito Emanuel Pinheiro cometeu falta de decoro ao encher os bolsos do paletó de dinheiro, na época em que era deputado estadual  

Márcio Camilo

Jornalista

14/02/2020 16h46 | Atualizada em 14/02/2020 22h47

Retorno da CPI do Paletó é marcado por confusão; Abílio chama Toninho de pau mandado do prefeito por 7 vezes - VÍDEO

Arte Jornal o Estado de MT

Os vereadores de Cuiabá retomaram na manhã desta sexta-feira (14) a CPI do Paletó, que investiga se o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) cometeu falta de decoro ao aparecer em vídeo enchendo os bolsos do paletó de dinheiro - supostamente de propina - quando era deputado estadual.

O retorno dos trabalhos foi marcado por bate boca e confusão entre os parlamentares da situação e da oposição, principalmente entre Toninho de Souza (PSD) e Abílio Junior (PSC), que quase chegaram a trocar tapas.

Tudo começou quando um dos membros da CPI, vereador Sargento Joelson (PSC) protocolou requerimento pedindo que as reuniões da comissão fossem fechadas, o que impediria por exemplo a cobertura da imprensa.

Isso gerou revolta dos vereadores da oposição que passaram a criticar a postura dos colegas da base do prefeito. Abílio declarou a situação como vergonhosa e falta de transparência com a população, que tem todo o direito de acompanhar o processo pela imprensa.

Já o Sargento Joelson disse que os parlamentares da oposição querem fazer da CPI um show de pirotecnia. Destacando que todos os 25 vereadores podem participar das reuniões, mas que o trabalho precisa ser sério.

O requerimento do Sargento Joelson ainda será apreciado pelos membros da CPI que contam com dois vereadores da base e um da oposição.

Já no final da sessão, quando os vereadores davam entrevistas, Abílio passou por Toninho, que conversava com vários repórteres, e o chamou repetidamente de "pau mandado do prefeito". Toninho é relator do processo de cassação de Abílio e um dos parlamentares mais fiéis a Emanuel Pinheiro.

"Pau mandado do prefeito, pau mandado do prefeito, pau mandado do prefeito, pau mandado do prefeito, pau mandado do prefeito, pau mandado do prefeito, pau mandado do prefeito... O que ele está ganhando? Acelera o processo de cassação do meu mandato e quer proteger o prefeito do paletó. O outro [Sargento Joelson] quer fazer a transmissão [das reuniões da CPI do Paletó] em segredo. Quer fazer sigilo", criticou Abílio na imprensa.

Apesar da confusão, foram aprovados durante a reunião as primeiras oitivas da CPI, com o ex-governador Silval Barbosa (2 de março); o ex-secretário de Estado Alan Zanata (16 de março); Valdecir Cardoso; e o ex-chefe de gabinete de Silval, Silvio Correa (19 de fevereiro).

FONTE: Da redação, O Estado de Mato Grosso

Comente, sua opinião é Importante!