DISPUTA PELO SENADO

Leitão diz que Fávaro é o primeiro derrotado de uma fila de derrotados

Ex-deputado Nilson Leitão afirma que não existe terceiro colocado em eleição de Senado e por isso Fávaro não deve assumir a vaga temporariamente

Márcio Camilo

Jornalista

13/02/2020 19h30 | Atualizada em 13/02/2020 22h18

Leitão diz que Fávaro é o primeiro derrotado de uma fila de derrotados

Reprodução

Ex-deputado Nilson Leitão afirma que não existe terceiro colocado em eleição de Senado e por isso Fávaro não deve assumir a vaga temporariamente

O ex-deputado federal Nilson Leitão (PSDB), pré-candidato ao Senado, é contra que o ex-governador Carlos Fávaro (PSD) assuma temporariamente a vaga da ex-juíza Selma Arruda, cassada por crimes de caixa 2 e abuso de campanha.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Tófolli, concedeu liminar a Fávaro autorizando que ele assuma temporariamente a vaga, sob o argumento de ele foi o terceiro colocado das eleições para o Senado em Mato Grosso, em outubro passado.

“Não existe terceiro colocado numa eleição de Senado. Existe o primeiro derrotado de uma fila de derrotados. Qual que é a diferença de ter alguém que está respondendo e tem direto a defesa dentro do Senado e de alguém que não ganhou a eleição e querer assumir”, questionou Leitão.

Conforme ele o Senado é soberano e tem a última palavra sobre o destino de Selma. “Ela está na fase do direito de ampla defesa, não tem nada de errado aí. São três Poderes no país e o Senado deu a ela todo direito de ampla defesa. Ele deu 15 dias úteis para a defesa e acredito que todo o processo deve a acabar no dia 4 de março”, destacou o tucano acrescentando que não acredita que isso irá atrapalhar o calendário das eleições suplementares: “Não acho que isso atrapalha. Vai ter eleição no dia 26 de abril, quando o eleitor irá eleger um novo senador da República”.

No entanto, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), já declarou na imprensa que a Casa não entrará no mérito da cassação de Selma, mas quando irá despachar o ofício declarando a cassação da parlamentar.

A Mesa Diretora do Senado avalia agora se aguarda o transito e julgado do processo ou se declara de vez a cassação da ex-juíza, que ainda pode recorrer da sentença no STF.

Selma, conhecida nacionalmente como ‘Moro de Saias’, teve o mandato cassado em 19 de dezembro pelo Superior Tribunal Eleitoral.

 

 

FONTE: Da redação, O Estado de Mato Grosso

Comente, sua opinião é Importante!