ENERGIA SUSTENTÁVEL

CCJ do Senado aprova fim de carros movidos a gasolina e diesel

Se a medida for aprovada em plenário, proibição passa a valer a partir de 2040

Márcio Camilo

Jornalista

13/02/2020 15h01 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

CCJ do Senado aprova fim de carros movidos a gasolina e diesel

Fato Amazônico

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou, nesta quarta-feira (13), projeto de lei que estabelece o fim do uso de combustíveis fósseis (óleo diesel e gasolina) a partir de 2040. O PLS 304/2017, de autoria do senador Ciro Nogueira (PP), segue agora para votação na Comissão de Meio Ambiente (CMA).

Se o projeto se transformar em lei, os efeitos da medida passariam a valer a partir de 1° de janeiro de 2030, em que ficaria vedada, em todo território nacional, "a comercialização de automóveis novos de tração por motor combustão, exceto os abastecidos exclusivamente com biocombustíveis", a exemplo do etanol.

Já a partir de 1° de janeiro de 2040, ficaria proibida a circulação de todos automóveis movidos a combustíveis fósseis.

A exceção, conforme o senador, seria apenas para os carros de coleção e veículos de propriedade de visitantes estrangeiros, até 180 dias de sua entrada no Brasil.

Ao justifica a matéria, Nogueira destaca que os veículos movidos a combustíveis fósseis são um dos principais poluidores do planeta, responsáveis pelo efeito estufa.

Acrescenta que se nada for feito, as mudanças climáticas - decorridas do uso desenfreado de energia poluente - resultarão em mudanças climáticas e grandes tragédias, como inundações de cidades litorâneas pelo mar "e o consequente deslocamento de grandes quantidades de pessoas".

"Felizmente, já estão disponíveis soluções tecnológicas que permitem o enfrentamento dessa questão. A principal delas são os automóveis movidos a eletricidade, carregados pelas tomadas da rede elétrica. Para o Brasil, que possui uma produção de eletricidade relativamente limpa, a troca dos veículos a gasolina por veículos elétricos será muito vantajosa do ponto de vista ambiental", argumentou o senador ao acrescentar que a medida já esta sendo discutida por países desenvolvidos, como a Alemanha, França e Reino Unido.

"O Brasil não pode ficar à margem dessa discussão, já que a indústria automobilística aqui instalada tem todas as condições de produzir automóveis tão avançados quanto os usados no exterior", defendeu Nogueira.

FONTE: Da redação, O Estado de Mato Grosso

Comente, sua opinião é Importante!