PUBLICIDADE
SANI NEVES

Constelação Sistêmica

10/08/2019 07h38 | Atualizada em 09/08/2019 20h58

Sani Neves (*)

A Terapia Sistêmica Familiar de Bert Hellinger, conhecida como Constelação Sistêmica Familiar, vem conquistando espaços diversos com a proposta de solução de conflitos e diversos sofrimentos que afligem a alma humana, assim tem sido o recurso utilizado com muita eficácia no âmbito jurídico, clínico, escolar, entre outros.  Esta terapia possibilita ao cliente uma visão de possíveis razões para que este se encontre em dificuldades em sua vida, muitas vezes sucessivamente, e apesar de seus esforços pessoais, recursos intelectuais e financeiros, continua se vendo no mesmo lugar, como se rodasse em círculos sem grandes progressos em sua vida profissional, financeira familiar ou amorosa.

O alemão Bert Hellinger, nascido em 1925 e vivo até hoje, estudou e formou-se em Teologia, Pedagogia e Filosofia, foi membro de uma ordem de missionários católicos, viveu e laborou por 16 anos na África, onde foi dirigente de várias escolas de nível superior. E, mais tarde, tornou-se psicanalista. A Constelação surge por meio do seu contato com a Terapia Primal, Análise Transacional, Dinâmica de Grupos e diversos métodos hipnoterapêuticos, tendo grande importância o seu contato com Virgínia Satir.

Mas, afinal, você deve estar se perguntando: do que se trata e como funciona a Constelação?

A Constelação é um método terapêutico, que através do uso de representantes, que podem ser pessoas, bonecos ou âncoras de solo por exemplo, traz à tona o que está por trás dos problemas, doenças, e dificuldades dos mais diversos tipos, sentimentos ruins aparentemente inexplicáveis, podem estar relacionados a outros membros do sistema familiar, ainda que de gerações passadas e também tenham vivido as mesmas dificuldades, ou seja, ocorre uma repetição de atitudes, comportamentos e dificuldades, ainda que de modo inconsciente e assim perpetuam-se dores, doenças, sofrimento e fracassos em algum ou alguns membros do sistema atual.

Segundo Hellinger, há uma consciência do clã em todos nós, que é guiada pelas "Ordens do Amor", estas ordens são norteadas por três princípios: Pertencimento, que é a necessidade de pertencer ao grupo familiar; Equilíbrio, que é a necessidade de haver um equilíbrio entre o dar e o receber nos relacionamentos, e Hierarquia que é a necessidade de respeitar a posição hierárquica dos membros de um grupo familiar ou empresarial, por exemplo. Tais ordens atuam em todos os relacionamentos e a harmonia com elas favorece o indivíduo, proporcionando sensações agradáveis de paz, acolhimento e pertencimento.

Falando um pouco mais sobre o Pertencimento, esta é uma necessidade básica presente desde o nosso nascimento, pois todo ser humano é um ser relacional, e ali no nascimento já necessita sentir-se parte de um todo, um sistema familiar que ofereça alimento, acolhimento e afeto. “Pertencer à nossa família é uma necessidade básica. Esse vínculo é o nosso desejo mais profundo. A necessidade de pertencer a ela vai além até mesmo da nossa necessidade de sobreviver. Isso significa que estamos dispostos a sacrificar e entregar nossa vida pela necessidade de pertencer a ela” (p. 17. ‘A Cura’. Bert Hellinger). No decorrer de uma Constelação podemos verificar quais leis ou qual lei está sendo transgredida, e assim favorece que o cliente se coloque na vida de forma respeitosa. Se há a exclusão de um membro, a sua inclusão (pertencimento) possibilita que as injustiças cometidas sejam recompensadas, anula-se o desequilíbrio e as suas consequências negativas.

SANI NEVES. Psicóloga CRP 18/01332. Terapeuta EMDR. Const. Sistêmica Familiar. Practitioner PNL.
 

Comente, sua opinião é Importante!